Terapia Floral. Você conhece?



Oi mana!

Sinta-se bem-vinda e abraçada! Espero do fundo do meu coração que esteja bem. Se não está, acolha, se recolha e aceite o aprendizado do momento. Lembre-se sempre que a hora mais escura do dia é a madrugada. E é ela que precede o amanhecer.

Nessa semana, dando continuidade a nossa jornada, vou falar de algo que me ajudou muito e ajuda até hoje: a Terapia Floral.


Acredito que de todas as técnicas holísticas existentes, e te digo que são muitas, a terapia floral é uma das mais conhecidas e eficazes. Se você já fez uso, tenho certeza que ama! Se não fez, vou te explicar um pouco sobre a origem e como funciona.

A terapia floral foi criada pelo Dr. Edward Bach entre as décadas de 1920 e 1930 e tem adeptos por todo o mundo.

Dr Bach nasceu em 1886 na Inglaterra. Ainda bem jovem, começou a questionar os tratamentos paliativos da época, pois acreditava haver um meio de curar doenças tidas como incuráveis. Assim, aos vinte anos, ingressou na Universidade de Birmingham e acumulou cursos e diplomas. Também recebeu os títulos de bacteriologista, patologista e especialista em saúde pública. Posteriormente, iniciou seus estudos sobre tratamentos naturais de patologias emocionais. Neste período, ele atuava principalmente em seu consultório como bacteriologista e pesquisador, e, no seu pouco tempo livre, procurava métodos mais puros e simples de cura. Logo, Bach identificou os 38 estados negativos da mente e criou uma essência floral ou de planta para cada tratamento.

Para o Dr. Bach o importante era tratar a personalidade da pessoa e não a doença. A doença é o resultado do conflito da alma e da personalidade. Dizia: "O sofrimento é mensageiro de uma lição, a alma manda a doença para nos corrigir, nos botar no caminho de novo. O mal nada mais é do que o bem fora do lugar." Para ele a saúde é formada de: harmonia, integração, individualidade e integridade. O importante é ser livre, jogar muita coisa para o alto e fazer o que a nossa alma quer.

Os florais não têm contra indicação, não causam overdose ou efeitos colaterais. Podendo ser receitados até para bebês. Neste caso a terapia infantil é excelente, pois evita que se formem camadas de defesa no subconsciente (as chamadas crenças limitantes). Importante: depois de um tratamento, é muito difícil voltar o mesmo problema. Mas saiba que não é da noite para o dia. É preciso constância e paciência.

Hoje em dia existem várias linhas dessa terapia. Temos os Florais de Saint Germain, Florais de Minas, Califórnia, Amazônicos, Australianos e outros. Todos maravilhosos e com os mesmos objetivos. Eu sou usuária de floral há muito tempo. Comecei a usar quando passava por momentos delicados em casa e no trabalho e não parei mais. Hoje também atuo como terapeuta floral e uso a Radiestesia para escolher as essências mais adequadas para meus clientes.

Todas as técnicas que trago a você fazem parte das minhas práticas pessoais e são extremamente eficientes, mas dependem muito do empenho pessoal e desejo real de cura.

Como sempre, conto com sua companhia e se tiver dúvidas, pode mandar! Não se esquece de chamar suas amigas, hein? Você e elas são sempre bem-vindas!!!

Até!!!!!


Elisabete Arruda – Hipnoterapeuta, Terapeuta Floral, Auriculoterapeuta, Mestra em Reike Usui e Karuna Ki, Mestra em vários sistemas de energia e outras técnicas terapêuticas, Instrutora de Yoga e Psicanalista em formação. Co idealizadora do Projeto Ervas e Tradições.

Instagram - @elisabetearrudaterapeuta

@ervas.e.tradicoes

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo