Técnica da Hipnose

Oi Mana!

Primeiramente, sinta-se bem vinda e abraçada!

E como você sabe seu bem estar é muito importante pra mim, por isso, desejo que esteja bem.

Deixo pra você essa linda frase: “Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena” – Fernando Pessoa



Hoje vamos falar de uma técnica que ainda gera muita dúvida e receio: Hipnose

Vamos ao inicio de tudo. 


A Hipnose é tão antiga quanto à humanidade. Diversos autores relatam práticas  de hipnose em tempos e povos antigos, como gregos, egípcios, etc. Aliás, o nome veio do grego, do deus Hypnos. A dita história moderna da hipnose começou em 1776, com a tese de doutorado do médico alemão Franz Anton Mesmer. Na época, ele defendia a ideia de que a atração gravitacional entre a Terra e outros corpos celestes poderia afetar a saúde dos seres humanos. O médico dizia que o corpo humano era composto por fluidos magnéticos, e que quando esses fluidos entravam em desequilíbrio, poderiam causar diversos problemas — por isso, deveriam ser corrigidos. Outros estudos vieram,  diversos outros pesquisadores começaram a estudar o assunto, como o francês Jean-Martin Charcot, considerado o pai da neurologia, e o médico fisiologista russo Ivan Pavlov, conhecido principalmente por suas pesquisas sobre condicionamento reflexo ou respondente. A segunda metade do século XX foi relevante para o reconhecimento e aceitação da Hipnose no meio acadêmico e científico. Embora a hipnose tenha sido contestada durante muito tempo e ainda hoje vista com certo receio, existem pesquisas e estudos atuais que podem comprovar a eficácia do método. Entende-se hoje, que ela é uma grande ferramenta na diminuição da dor, assim como no tratamento de problemas psiquiátricos.


Algumas verdades sobre a técnica

Hipnose e meditação não são sinônimos. Apesar de as duas técnicas alterarem o estado de consciência de uma pessoa, os objetivos são diferentes;


Transe não é o mesmo que sono profundo. No transe, a pessoa fica extremamente concentrada em algo específico, mas não está dormindo. Nesse estado, o paciente é capaz de conduzir seus pensamentos e pode lembrar-se de tudo que ouviu e falou. Já durante o sono, o paciente não tem controle sobre seus pensamentos e nem sempre se lembra do que sonhou;

Não é possível ficar preso no transe, isso é mito. Transe é um estado de concentração profundo. Se o paciente quiser abrir os olhos e falar, na maioria das vezes o conseguirá tranquilamente;


Durante a hipnose, o paciente geralmente não fica inconsciente.  A hipnose é um estado de consciência alterada, e não de inconsciência. Ou seja, uma espécie de atenção focada;


O hipnoterapeuta não tem poderes especiais. Ele é uma espécie de facilitador, ou então mediador. É um conhecedor de técnicas específicas que podem ajudar o paciente a entrar em um estado de concentração propício às mudanças que quer e/ou precisa fazer em sua vida;


O hipnoterapeuta não pode controlar a mente do paciente. Durante o transe, ele o ajudará, por exemplo, a ressignificar (dar outro significado) uma experiência vivida na infância que pode ter ocasionado um trauma ou uma fobia. O especialista apenas prestará auxílio, jamais controlará a mente do paciente;


Durante a hipnose não é possível apagar memórias. Pelo contrário, o paciente terá a oportunidade de recordar momentos que já estavam esquecidos. Essas lembranças são chamadas de hipermnésia.


A hipnose depende muito mais do paciente do que do hipnotizador

Você sabia que na época da Segunda Guerra Mundial, na falta de anestesia, alguns médicos usavam a hipnose para realizar procedimentos e até cirurgias nos pacientes? Nesse caso, a técnica funciona como um bloqueio da dor. Tanto que, recentemente, ela começou a ser usada como complemento ao tratamento de pacientes com câncer.


E o que mais pode ser tratado com hipnose? Você ficaria surpresa se soubesse ...

Vou listar somente algumas: síndrome do pânico; fobias; dermatites; alcoolismo; tabagismo; estresse; rinite alérgica e muito mais!


A sessão de hipnose é super tranqüila. Durante o processo, a atenção do paciente está focada. Ele consegue se conectar com o subconsciente, e é nesse momento que é possível superar traumas, fobias e até mesmo doenças. Por exemplo, no tratamento para ansiedade, as chances de descobrir suas causas usando a hipnose são muito maiores. E o mesmo pode ser feito com diversos tipos de traumas. Nesses casos, o hipnoterapeuta ajuda o paciente a acessar a memória traumática. 

Em minha experiência, já tive bons resultados em ansiedade, fobias, luto e outras

Bem, meu objetivo é desmistificar a técnica e trazer um pouco mais de esclarecimento.


E mais uma vez agradeço imensamente sua companhia. 


Você já sabe: se tiver dúvidas, pode mandar! E não se esqueça de chamar suas amigas! Você e elas são sempre bem vindas!!!

Até!!!!


Fonte: https://sociedadeinteramericanadehipnose.com/blog/hipnose-na-pratica-um-guia-com-tudo-o-que-voce-precisa-saber/

 

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo