Alimentação e Nutrição: A Importância para o seu Bebê

Quando se tem um bebê, pensar na alimentação e nutrição do pequeno é tarefa muito imporatnte.

Assim, nos primeiros 6 meses de vida do bebê o leite materno deverá ser o único alimento oferecido. Não é necessário nem mesmo água ou chás.

De fato, o leite materno oferece uma fonte de nutrientes especialmente adaptados às condições digestivas e metabólicas da criança. Oferece ainda, proteção contra algumas doenças, estabelece um forte vínculo entre mãe e filho e previne doenças cardiovasculares na vida adulta da criança.

O leite materno é adequado e garante o crescimento e desenvolvimento adequados da criança nesta fase da vida!

A orientação do período exclusivo da amamentação é dada pelo Ministério da Saúde e também pela Organização Mundial da Saúde.

Na impossibilidade ou dificuldades de amamentar o recém-nascido deve-se procurar um profissional capacitado para orientar a melhor conduta: nutricionista, pediatra ou um profissional do banco de leite humano ou posto de coleta.

Complementação a partir do 6o. mês de vida

A partir do 6.º mês, torna-se necessário complementar a dieta da criança com outros alimentos.

Lembrando que não é para SUBSTITUIR o leite materno e sim COMPLEMENTAR, pois o aleitamento materno deve ser mantido, sempre que possível, até os 2 anos.

Os novos alimentos devem ser oferecidos ao bebê gradativamente, sendo um alimento novo por dia, a fim de observar a tolerância pela criança.

As papinhas de fruta poderão ser oferecidas 2 vezes ao dia, enquanto as papinhas de sal inicialmente poderão ser oferecidas apenas no horário do almoço e posteriormente, por volta do 8.º mês de vida, oferecida também no jantar.

Poderá ser elaborada pelos mesmos alimentos presentes nas refeições da família, porém, inicialmente, a consistência deve ser adaptada às condições da criança.

Não deve ser muito mole, pois é necessário estimular a mastigação e os dentinhos que estão começando a ser formados. Portanto, sugere-se amassar ao invés de liquidificar e com o passar do tempo substituir por alimentos picadinhos.

neném comendo deliciosa papinha

Como Deve ser a Papinha?

Pensando na alimentação e nutrição do seu bebê, as papinhas de sal devem conter um alimento de cada grupo descrito abaixo:

  1. Energia: arroz, batata, inhame, mandioca, angu ou macarrão, etc.

  2. Proteína vegetal: feijão, lentilha, grão-de-bico, soja, etc.

  3. Proteína animal: carne ou ave

  4. Vitaminas, minerais e fibras: couve / cenoura / espinafre / abobrinha / couve-flor / taioba / brócolis, etc.

Obs.: o sal e o óleo vegetal podem ser utilizados durante o preparo, porém, cuidado com as quantidades!!!

Deve-se evitar oferecer à criança no primeiro ano de vida os seguintes alimentos: ovo (principalmente a clara), mel e outros leites que não o leite materno.

Quando iniciar a alimentação complementar, torna-se necessário oferecer à criança água nos intervalos das refeições.

A oferta de líquidos deve ser oferecida diretamente em copos, pois são mais higiênicos que mamadeiras, auxiliam no desenvolvimento psicomotor e não desestimulam a sucção ao seio materno.

Deve-se dar atenção á higiene dos alimentos oferecidos, principalmente alimentos consumidos crus como frutas e hortaliças e também aos utensílios utilizados no preparo das refeições.

Tudo deve ser muito bem higienizado para evitar qualquer dano à criança.

É importante salientar que qualquer alimento industrializado/artificial deve ser evitado porque o intestino da criança ainda está imaturo.

Em geral, esse grupo de alimentos contém conservantes / corantes / aditivos que devem ser evitados pelas crianças. Uma alimentação saudável, variada e o mais natural possível seria o ideal.

bebê comendo morango

Dicas Extras

Se houver recusa da criança à oferta de um novo alimento, não force. Porém, em outras oportunidades deve-se oferecê-lo novamente, pois a criança está em um processo de aprendizado e repetir o mesmo alimento para a criança é necessário.

Pesquisas indicam que uma criança pode provar até 10 vezes o mesmo alimento para poder aceitá-lo.

Permitir, sempre que possível, que a criança segure o copo, use a colher e as mãos para manusear o alimento, contudo sempre sob vigilância.

Esse contato permite à criança treinar a coordenação motora mão-boca, treinar preensão de objetos e conhecer texturas.

Variar a forma de apresentação e preparo da refeição.

Deve ser sempre colorida, com os alimentos colocados separados evitando misturá-los. Assim melhoramos o aspecto psicos sensorial e prevenimos a monotonia, além da criança, ir conhecendo os alimentos.

Os horários das refeições da criança devem ser um momento agradável para que ela associe a uma atividade prazerosa.

Entretanto, não se deve permitir que a criança realize outras atividades durante a refeição como correr, brincar ou assistir televisão.

Dessa forma, você garante que a alimentação e a nutrição do seu bebê estejam adequadas.

Mônica Apocalypse – Nutricionista

Referências:

  1. LACERDA, E.M.A.; ACCIOLY, E.; FARIA, I.G.; COSTA, V.M. Praticas de Nutrição Pediátrica. Ed.: Atheneu, 2002.

  2. WEHBA, J. et al. Nutrição da Criança. Ed.: Fundo Editorial BYK, 1991

  3. ACCIOLY,e; SAUNDERS, C.; LACERDA, E.M.A. Nutrição em Obstetrícia e Pediatria. Ed.: Cultura Médica, 2003.

  4. VITOLO, M.R.V. Nutrição da Gestação à Adolescência. Ed.: Reichmann & Affonso Editores, 2003.

0 comentário